terça-feira, 30 de outubro de 2018

América do Sul, uma Terra Dedicada - parte 3

Os Templos da América do Sul

Quebrando um pouco a sequência dos temas que estamos tratando na série de artigos sobre a História da Igreja na América do Sul, vamos agora tecer alguns comentários sobre os Templos que foram dedicados, que estão sendo construídos e que ainda serão construídos nesta parte da vinha do Senhor, com um propósito bem especial: celebrar os 40 anos do primeiro Templo da América do Sul.

Entre os dias 19 e 28 de outubro o Presidente Russell M. Nelson realizou mais um tour em seu ministério global, dessa vez visitando cinco países da América do Sul, Peru, Bolívia, Paraguai, Uruguai e Chile.
Já aí vemos um feito notável. Em seu primeiro tour internacional, em abril deste ano (2018), o Presidente Nelson, visitou, em 11 dias, oito cidades: uma cidade na Europa, uma no Oriente Médio, duas na África, três na Ásia, e uma no Pacífico. Mas, desta vez, ele passou 10 dias num único subcontinente, a América do Sul.
E, culminando sua visita a esta terra prometida, o Presidente Nelson dedicou o Templo de Concepción Chile, no dia 28 de outubro. Mais um feito notável, sobretudo, se lembramos que no dia 30 de outubro de 2018 se comemora o 40º aniversário da dedicação do primeiro Templo da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias na América do Sul, e, de fato, em toda a América Latina, o Templo de São Paulo.
Das oito cidades que o Presidente Nelson visitou em sua primeira grande viagem internacional, apenas três (Londres, Hong Kong e Honolulu) possuem um Templo já dedicado; uma cidade (Jerusalém) já teve um Templo; e as demais cidades (Nairóbi – Quênia, Harare – Zimbábue, Bangalore – Índia, e Bangkok – Tailândia) tem Templos já anunciados mas ainda não dedicados.
Por outro lado, todas as cidades visitadas pelo Presidente Nelson, pelo Élder Stevenson e por suas esposas possuem um Templo, inclusive Lima (Peru), que já tem um Templo mas que logo terá seu segundo Templo[1], e o recém dedicado Templo de Concepción Chile.
E mais que isso – todos os países Sulamericanos, exceto pelas Guianas, possuem ao menos um Templo. O novo Templo dedicado no dia 28 é o 18º Templo Sulamericano e o 160º de toda a Igreja[2].
Por isso, considerando a diferença de apenas dois dias entre a dedicação do 18º Templo e o 40º aniversário do primeiro Templo na América do Sul, não poderia haver um melhor contexto para comemorar!
A construção do Templo de São Paulo foi anunciada em 1975 pelo Presidente da Igreja na época, Presidente Spencer W. Kimball, quem tinha uma longa relação com a América do Sul, na Conferência de Área realizada na cidade de São Paulo.
São Paulo não foi a primeira cidade em que a Igreja foi organizada na América do Sul: Buenos Aires (Argentina) foi a primeira cidade sul-americana na qual se realizou batismo de conversos e onde se organizou um Ramo da Igreja.
São Paulo também não foi a primeira cidade brasileira a receber a Igreja: os primeiros missionários foram enviados à cidade de Ipoméia (no Estado de Santa Catarina) em 1926, pelo Presidente Reinhold Stoff, Presidente da Missão Sulamericana. Por outro lado, São Paulo apenas recebeu missionários alguns anos depois.
Ainda assim, devido a fatores diversos como localização geográfica, população, e diversidade cultural e religiosa, a Igreja experimentou um rápido crescimento na cidade de São Paulo, justificando a criação da Missão Brasileira em 1935 com sede em São Paulo, e o estabelecimento da primeira Estaca da América do Sul, em abril de 1966, poucos meses antes da primeira Estaca na Argentina, a Estaca Buenos Aires, em novembro de 1966. Por isso, apesar de que os membros se surpreenderam ao ouvirem o anúncio da construção do Templo de São Paulo, não foi nenhuma surpresa o fato de que o primeiro Templo da América do Sul fosse construído na cidade de São Paulo.
O Templo de São Paulo foi construído para atender a todos os países da América do Sul. E, de fato, James E. Faust, quando era Assistente dos Doze e estava designado a supervisionar o Reino de Deus neste abençoado subcontinente, fez um relato do progresso da Obra aqui, mencionando suas experiências na supervisão da construção do Templo de São Paulo, numa Conferência Geral  em 1975.
Para o Élder Faust, o incrível crescimento da Igreja na América do Sul depois de um início tão difícil era, sem dúvida, uma prova da realidade da restauração do Evangelho e das Chaves do Sacerdócio por meio de profetas e apóstolos. E, sobre o Templo, ele disse:
Na semana passada, no local do Templo, enquanto pensava e ponderava avancei para o local onde as dependências do Templo serão erguidas. A neblina já se dissipara de modo que pude ver, à distância, a grande cidade de São Paulo.
Lembro de que, quando jovem missionário, presidi o trabalho nessa cidade, com treze missionários e cerca de trezentos membros. Existem atualmente, quatro Estacas e cem missionários nessa cidade.
(...)
Naquela manhã da semana passada, caminhei em direção aos lugares santos do templo tentando determinar, pelas estacas, onde seria a sala de selamento. Já parecia um lugar santificado.
Mentalmente, visualizei jovens casais, limpos e puros, de mãos dadas e sorriso nos lábios, muitos com a pele morena contrastando lindamente com as roupas brancas, os quais irão a esse local sagrado para se casarem pelo poder do Santo Sacerdócio de Deus para o tempo e para a eternidade.
Foi fácil imaginar a grande alegria de famílias inteiras que se dirigirão a esse local para serem seladas e unidas pela mesma autoridade numa associação familiar eterna, por causa de seu merecimento.
Virão dos desfiladeiros e planícies elevadas dos Andes; da orla marítima; virão das grandes cidades. Nesse local, as portas do reino serão abertas para aqueles que já morreram sem oportunidades de aceitar as bênçãos do Evangelho de Jesus Cristo aqui na terra.
(...)
Tendo isso em mente e com os olhos cheios de lágrimas, lembrei-me de ter ouvido de um dos nossos ótimos presidentes de Estaca da América do Sul dizer que, quando fosse à Conferência Geral em Salt Lake, ele e sua esposa teriam que decidir quais dois dos cinco filhos que levariam consigo para serem selados no Templo. São necessários quarenta e três soles para fazer um dólar.
Agora seus planos mudaram. Estão planejando levar todos os filhos para o primeiro Templo da América do Sul.
(...)
Contemplando tudo isso, não poderia duvidar de que esse é o trabalho de Deus aqui na terra.
Chegara a hora de caminhar por fora dos limites formados pelas pequenas Estacas fincadas no chão, marcando a dimensão do tão aguardado Templo.
Tentei imaginar quão alto o frontispício será. Ao mesmo tempo, tentei imaginar o momento em que os baixos e rígidos índios da Colômbia, Equador, Peru, Bolívia e Paraguai se dirigirão para aquele lugar e olharão esse mesmo frontispício.
Gostaria de saber se alguns deles não gostariam de admirar o fino artesanato do edifício comparando-o com a qualidade do artesanato dos muros sagrados dos edifícios de seus antepassados ainda de pé em Cuzco, em Machu Picho e em vários outros lugares da América do Sul. Eles também tiveram seus Templos.
(...)
O que esse Templo, que está prestes a ser erigido na América do Sul, significa para o seu povo? Significa grandes e duradouras bênçãos. Também significa grande sacrifício.
(...)
Como vai o trabalho do Senhor lá, agora? Problemas? Existem muitos. Desafios? Eles são grandes, mas o progresso é quase inacreditável.

Esse Templo realmente abençoou enormemente a toda uma geração de membros da Igreja que por anos foram os pioneiros em seus países, sonhando com um dia conhecer um Templo do Senhor. Esse Templo possibilitou o recebimento das ordenanças de salvação eterna para milhares de membros de todos os países da América do Sul, o que fortaleceu a Igreja em todo o subcontinente, possibilitando, inclusive, a preparação do povo sulamericano para realizar esse mesmo trabalho sagrado em seus próprios países com o passar do tempo.

Esses são os 18 Templos da América do Sul por país, com os anos em que foram dedicados:
Brasil - São Paulo (1978, rededicado em 2004), Recife (2000), Porto Alegre (2000), Campinas (2002), Curitiba (2008), e Manaus (2012)
Argentina - Buenos Aires (1986, rededicado em 2012), e Córdoba (2015)
Peru - Lima (1986) e Trujillo (2015)
Uruguai - Montevideo (2001)
Chile - Santiago (1983) e Concepción (2018)
Paraguai - Asunción (2002)
Colômbia - Bogotá (1994)
Bolívia - Cochabamba (2000)
Equador - Guayaquil (1999)
Venezuela - Caracas (2000)

Além desses 18 Templos dedicados e em funcionamento, a América do Sul ainda tem 11 Templos já anunciados, mas ainda não dedicados:
Brasil – Fortaleza, Rio de Janeiro, Belém, Brasília e Salvador
Argentina – Salta e Mendoza
Peru – Lima Los Olivos, e Arequipa
Colômbia – Barranquilla
Equador – Quito
Como disse o Élder Faust, em outro trecho de seu discurso, “o trabalho está apenas começando”.

Para finalizar, deve-se destacar o destino promissor da América do Sul, como tem sido enfatizado pelo Presidente da Igreja, Russell M. Nelson.
Como já foi dito em outra oportunidade[3], quando Russell M. Nelson nasceu (1924) a Igreja ainda não tinha sido estabelecida na América do Sul.
Apenas em 1925 o Elder Melvin J. Ballard (do Conselho dos Doze) abriu a Missão Sulamericana e dedicou este subcontinente para a pregação do Evangelho.
E, no mesmo dia em que apoiamos em Assembleia Solene a Russell M. Nelson como Presidente da Igreja e M. Russell Ballard (neto de Melvin J. Ballard) como Presidente interino do Quórum dos Doze, também apoiamos o primeiro sulamericano a receber o chamado de Apóstolo, o Élder Ulisses Soares, de São Paulo, Brasil.

Em entrevista com o biógrafo oficial do Papa Francisco concedida durante sua visita à América do Sul, o Presidente Nelson disse:
Agora o centro da gravidade mudou para o hemisfério sul. A América do Sul e a África são fortes em sua fé.[4]

E, depois da dedicação do Templo de Concepción Chile, o Profeta de Deus na terra disse:
"Somos testemunhas de um processo de restauração. (...) Se você acha que a Igreja foi totalmente restaurada, está apenas vendo o começo.
Há muito mais por vir.” [5]





[1] Com isso, Lima será a segunda cidade no mundo a possuir dois Templos. A primeira cidade a alcançar esse marco foi Provo Utah.
[2] Não é de hoje que a América do Sul estabelece marcos na história dos Templos da Igreja nesta última dispensação. Nos anos 90, quando Gordon B. Hinckley se tornou o Presidente da Igreja, ele anunciou a meta de ter mais de 100 Templos dedicados em todo o mundo até o ano 2000. O Templo de nº 100 foi o Templo de Boston, dedicado em 1º de outubro de 2000. Mas a meta, que era a de ultrapassar 100 Templos foi atingida na América do Sul, quando o Templo do Recife Brasil foi dedicado em 15 de dezembro de 2000 e o de Porto Alegre Brasil foi dedicado em 17 de dezembro de 2000, sendo, respectivamente, os Templos de nº101 e 102 da Igreja.

[3] Na publicação Uma nova era para a América do Sul, deste blog, do dia 30 de abril de 2018:

 https://estudos-sud-br.blogspot.com/2018/04/uma-nova-era-para-america-do-sul.html

[4] Ver a reportagem President Nelson condemns religious violence in wide-ranging interview, de Tad Walch, no Deseret News do dia 26 de outubro de 2018. Disponível em:

 https://www.deseretnews.com/article/900039009/president-nelson-condemns-religious-violence-in-interview-with-pope-francis-biographer.html

[5] Ver a reportagem After Concepción Chile Temple dedication and tour conclusion, the prophet says 'There is much more to come', de Sarah Jane Weaver, no Church News do dia 28 de outubro de 2018. Disponível em: https://www.thechurchnews.com/leaders-and-ministry/2018-10-28/after-concepcion-chile-temple-dedication-and-tour-conclusion-the-prophet-says-there-is-much-more-to-come-48332


Nenhum comentário:

Postar um comentário