quinta-feira, 27 de setembro de 2018

América do Sul, uma Terra Dedicada - parte 2


A Dedicação da América do Sul

No artigo anterior, vimos antigos relatos sobre o futuro destino da América do Sul, conhecido desde os tempos bíblicos e do Livro de Mórmon, incluindo a pregação do Evangelho Restaurado e o estabelecimento da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias neste subcontinente.
Agora, vamos estudar palavras proféticas de Joseph Smith a respeito da edificação de Sião na América do Sul, e em seguida veremos o início do cumprimento dessas profecias.

Profecias modernas sobre o subcontinente sul-americano: palavras de José Smith sobre o estabelecimento de Sião
Já na atual dispensação, foram restauradas não só as profecias referentes às Américas, mas também foram restauradas as bênçãos dos povos que aqui habitam, voltando-se a efetuar a redenção e a salvação das Américas e de seus povos.
Em abril de 1834, o Profeta José Smith, conforme relatado por Wilford Woodruff, fez certas profecias a respeito do futuro e do progresso da Igreja:
Sabeis menos sobre o destino desta Igreja e reino do que um bebê no colo da mãe. Não a compreendeis (...). Vedes apenas uns poucos portadores do Sacerdócio aqui reunidos, mas esta Igreja irá espalhar-se por toda a América do Norte e do Sul – e pelo mundo inteiro.[1]
Dez anos depois, durante a Conferência Geral de abril de 1844, o profeta José Smith fez um curto discurso, pois não se encontrava bem de saúde. As palavras que ele proferiu naquela ocasião são verdadeiramente proféticas, e dizem respeito à futura administração da Igreja. Este é o conteúdo da revelação:
Desejo fazer uma proclamação aos élderes, por isso gostaria que permanecêsseis. Sabeis perfeitamente que o Senhor tem dirigido esta Igreja por revelação. Obtive uma que se relaciona com a economia da Igreja: uma grande, importante e gloriosa revelação. Não poderei tratá-la tão extensamente como em outras vezes, mas vos exporei os primeiros princípios. Sabeis que tem havido muita polêmica quanto a Sião: onde está, e onde será a aliança nesta dispensação, e é o que agora vou declarar. Os profetas falaram e escreveram sobre esse assunto, mas o que farei será muito mais extenso. Todas as Américas são Sião, de norte a sul, e os profetas a descrevem, declarando que é Sião onde se encontrará o monte do Senhor, e que ele estará no centro do país. Quando os élderes buscarem e examinarem as profecias antigas da Bíblia, seus olhos se abrirão.[2]
As palavras proféticas de José Smith demonstram que as Autoridades da Igreja sempre tiveram um grande anseio pelo envio do Evangelho Restaurado à América do Sul, e também uma firme crença de que, uma vez aqui estabelecido, o Reino de Deus cresceria de maneira comparável apenas ao crescimento experimentado na América do Norte.

História da Dedicação da América do Sul
Essa profecia veio a cumprir-se em 1925. No livro Historia de los Mormones em Argentina, se faz o seguinte relato a respeito do envio dos primeiros missionários:
Em 1923 duas famílias Santos dos Últimos Dias emigraram da Alemanha à Argentina. Eram os Friedrich e os Hoppe. Depois de um tempo escreveram à Primeira Presidência solicitando o envio dos missionários.
Em 3 de setembro de 1925, se anunciou que a Primeira Presidência considerava oportuna a possibilidade de abrir uma missão na América do Sul. Mais tarde, na Conferência Geral de outubro desse ano, o Élder Melvin J. Ballard, do Conselho dos Doze, anunciou que havia sido escolhido para a tarefa, com os presidentes Rulon S. Wells e Rey L. Pratt.[3]
Segundo relatou o Elder Ballard, o Élder Ray L Pratt, além de ter servido como Presidente de Missão no México se era um mestre da língua espanhola, e o Elder Rulon S. Wels o ajudava com o alemão – língua das famílias mórmons que requereram missionários na Argentina.[4]
Esses três missionários destinados a serem os pioneiros nestas terras do Sul, embarcaram rumo a sua missão pouco tempo depois do anúncio, e chegaram em Buenos Aires no dia 6 de dezembro de 1925. Conheceram a família Friedrich, a família Hoppe e outras famílias interessadas em conhecer o evangelho.
No dia 12 de dezembro, nas margens do Rio da Prata o Élder Melvin J. Ballard desceu às águas e batizou 6 conversos, membros das famílias Biebersdorf, Kullick e Plassman. No dia seguinte, na casa da família Kullick foi realizada a primeira reunião sacramental e as primeiras confirmações na Missão Sul-americana.[5]
Pouco depois, na manhã de Natal de 1925, precisamente às 7 horas da manhã, entre os salgueiros chorões do Parque Tres de Febrero (local previamente escolhido), em Buenos Aires, se realizou a importante reunião em que se dedicaria este subcontinente à pregação do evangelho e ao estabelecimento do Reino de Deus, iniciando o cumprimento de todas as profecias referentes a estas terras.
A reunião, presidida pelo Élder Ballard, iniciou-se com o hino A Alva Rompe. Também se cantaram os hinos Um Anjo Lá do Céu, e Salve o brilho de alegria na manhã de Sião (não disponível em português, até onde sei). O Élder Rey L. Pratt leu 1 Nefi 13; 2 Nefi 31; e 3 Nefi 21, e o Élder Rulon S. Wells leu Gênesis 29:22-26. Em seguida, o Élder Melvin J. Ballard proferiu a Oração Dedicatória.[6]
Da Oração, destaco os seguintes trechos:
Estamos agradecidos por termos sido escolhidos por Teu servo, o Presidente Heber J. Grant, para vir a esta grande terra da América do Sul, para abrir a porta para a pregação do evangelho a todos os povos das nações sul-americanas; para buscar o sangue de Israel, que tem sido mesclado entre as nações gentias, muitos dos quais, influenciados pelo espírito de coligação, têm sido congregados nesta terá. (...)
E também rogamos que possamos ver o começo do cumprimento de Tuas promessas contidas no Livro de Mórmon ao indígena destas terras, que é um descendente de Leí, milhões dos quais vivem neste país, quem têm sido oprimidos por muito tempo, e têm suportado muitas aflições e sofrido por causa do pecado e transgressão, como os profetas do Livro de Mórmon predisseram. (...)
que a paz possa estar sobre estas nações que Tu tens feito livres através de Tuas bênçãos sore os valentes libertadores destas terras; que a retidão possa predominar, e a liberdade plena para a pregação do evangelho prevaleça. Detém o poder do mal para que não triunfe sobre Tua obra, mas que todos Teus inimigos sejam subjugados e Tua verdade seja triunfante.
E agora, Oh Pai, pela autoridade da benção e designação de Teu servo, o Presidente da Igreja, e pela autoridade do Santo Apostolado do qual eu sou portador, dou volta à chave, e abro a porta para a pregação do evangelho em todas estas nações Sul-americanas, e repreendo e ordeno que seja detido cada poder que se oponha à pregação do evangelho nestas terras. E abençoamos e dedicamos estas nações e este terra para a pregação do evangelho. E fazemos isso para que a salvação possa chegar a todo homem, e que Teu nome seja honrado e glorificado nesta parte da terra de Sião.[7]
Após a oração, os santos reunidos cantaram o hino Hoje, ao Profeta Louvemos, e escutaram os missionários falaram sobre aquela missão que estavam desempenhando.
Aqueles três missionários permaneceram mais alguns meses entre os primeiros santos sul-americanos. Em junho de 1926 chegaram mais missionários.
No dia 4 de julho de 1926, em sua última reunião com os santos antes de seu retorno a Salt Lake, o Élder Ballard deu um impressionante testemunho, no qual profetizou o futuro crescimento da Igreja nestas terras. As seguintes palavras foram registradas pelo Élder Vernon Sharp (missionário de tempo integral) em seu diário:
A obra do Senhor crescerá devagar por algum tempo aqui, assim como o carvalho cresce lentamente a partir de um bulbo; ela não se desenvolverá em um dia, como acontece com o girassol que cresce rápido e depois morre. Porém, milhares entrarão para a Igreja aqui. A obra se dividirá em mais de uma missão e será uma das mais fortes da Igreja.[8]
O Élder Ballard retornou aos Estados Unidos, sendo sucedido na presidência da Missão Sul-americana pelo Presidente Reinhold Stoof, sob cuja presidência o evangelho começou a ser levado a outras regiões da Argentina e no Brasil.


Versión en español disponible en: 
https://volveraelcorazon.blogspot.com/2018/10/sudamerica-una-tierra-dedicada-parte-2.html



[1] A História da Igreja na Plenitude dos Tempos, pág. 113. (Grifei)
[2] Ensinamentos do Profeta Joseph Smith, págs. 353-534 (Grifei)
[3] História de los Mormones en Argentina, p. 32. Tradução livre do autor deste artigo. O Élder Rey L. Pratt é o neto do Élder Parley P. Pratt, sobre quem falaremos mais no futuro.
[4] Conference Report, Oct. 1926, p. 34-35.
[5] História de los Mormones en Argentina, p. 36.
[6] Dedicación de Sudamérica al Evangelio. Artigo da Área América do Sul Noroeste. Disponível em: http://www.iglesiajesucristosud.org/historiadelaiglesia/noticias/dedicacion-de-sudamerica-al-evangelio
[7] A oração foi registrada no livro histórico da Missão Sul-americana e publicada na revista Improvement Era, Tomo 4, Abril de 1926, p. 575-577. Do original foi feita uma tradução ao espanhol pelo Élder Cargos Agüero, Setenta de Área (Área América do Sul Sul) em janeiro de 2000. (Ver: Conmemoración del inicio de la predicación del evangelio en Sudamérica, Néstor Curbelo, p. 4-7, e Dedicación de Sudamérica al Evangelio. Artigo da Área América do Sul Noroeste. Disponível em: http://www.iglesiajesucristosud.org/historiadelaiglesia/noticias/dedicacion-de-sudamerica-al-evangelio) A partir da tradução feita pelo Élder Agüero foi feita uma tradução ao português por Renan Silva, entre novembro de 2013 e junho de 2014, enquanto servia na Missão Argentina Córdoba. Para ver a versão em português completa: https://estudos-sud-br.blogspot.com/2018/05/oracao-dedicatoria-da-america-do-sul.html
[8] Raízes e Ramos da Igreja no Brasil: Os Oitenta Anos das Missões BrasileirasÉlder Celso e Cristina Sanches. Disponível em: http://www.lds.org.br/raizes-e-ramos-no-brasilos-oitenta-anos-das-missoes-brasileiras

2 comentários:

  1. SOY testigo presencial, ocular y auditivo de sus palabras en este comentario,no soy un pionero de los primeros años de la Iglesia en Argentina, pero manifiesto que a lo largo de estos años, como dice mi Bendición Patriarcal se me ha profetizado que sería " testigo del crecimiento de la Iglesia y participaría en la edificación de Misiones, hay 12 solo en este país, Estacas, tenemos 6 en esta capital, 2 más en el interior y 1 distrito, barrios y Ramas" eso se ha cumplido con creces y aún no ha terminado, es como dijo Elder Jeffrey Holland en la Conferencia Gral. de la Iglesia en Abril pasado, estamos ante un aluvión de revelación, ahora somos NOSOTROS los que tenemos que ser parte de ese " aluvión" y ponernos a tono con la velocidad que avanza la Iglesia.-

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gracias por comentar. Pronto publicaré la versión en español de ese artículo, pero en otro blog. Cuando salga la publicación le aviso por aca.
      Gracias

      Excluir